Como saber o local de votação – Eleições 2020

As eleições 2020 acontecem somente em outubro, no entanto, os 147,3 milhões de eleitores dos mais de 5 mil municípios brasileiros já estão se preparando para este momento. No ano que vem, os cidadãos têm a difícil missão de escolher quem vão ser os próximos prefeitos e vereadores. Para isso é fundamental desde já estar atento ao local de votação.

Saber o local de votação é a primeira tarefa para quem quer fazer bonito na hora do voto. Essa é uma tarefa mais complicada para quem transferiu o Título de Eleitor. E também para aqueles que votam pela primeira vez. Já que, após a primeira eleição, o eleitor vai votar sempre no mesmo lugar, a menos que solicite a transferência do local de votação.

Há 3 maneiras para que você descubra o seu local de votação, a primeira é pelo portal oficial do TSE – (Tribunal Superior Eleitoral). A segunda é indo pessoalmente até uma das sedes do Cartório Eleitoral com o Título de Eleitor em mãos. A última é mais recente é através de um aplicativo para smartphones.

Conheça o seu local de votação

Para você saber como o seu de votação é importante entender como funciona o processo que define onde cada cidadão vai votar. Assim, todo eleitor está cadastrado para votar em uma seção eleitoral específica. Por isso, é fundamental saber o número da sua zona eleitoral e o seu local de votação. Com essas informações em mãos o eleitor escolhe a forma que prefere consultar o seu local de votação.

Dessa forma, a Justiça Eleitoral disponibiliza uma série de opções que permitem ao eleitor saber em qual seção deverá comparecer para exercer seu direito de voto. Conheça a mais nova forma de saber qual o seu local de votação.

Leia também: O que acontece se eu não votar?

Aplicativo – e-Título

O aplicativo e-Título é uma versão digital do título de eleitor. Ele pode ser baixado em qualquer smartphone. Através do aplicativo o eleitor consegue descobrir o local de votação. A localização é informada por meio de ferramentas de geolocalização, que guia o usuário até sua seção eleitoral. A ferramenta pode ser baixada gratuitamente em dispositivos móveis nas lojas virtuais Apple Store e Google Play.

Além disso, o e-Título também serve como documento de identificação do eleitor caso ele já tenha feito o recadastramento biométrico. Pois, a versão digital será baixada já com a foto, o que dispensa a apresentação de outro documento de identificação no momento do voto. Ou seja, baixa o eleitor mostrar o seu título de eleitor digital (e-título) para o mesário e está tudo resolvido!

Mesmo sem ter feito o recadastramento biométrico, o eleitor também pode baixar o e-Título para saber onde votar. Mas, nessa situação o aplicativo não vai substituir o Título de Eleitor, como não haverá ainda a foto do cidadão cadastrada no sistema, será necessário apresentar um documento com foto para o mesário nas urnas.

Site do TSE

A outra forma prática de consultar o seu local de votação é acessando o site oficial do TSE – (Tribunal Superior Eleitoral), basta clicar na aba superior, no menu “Eleitor e eleições” e, após, em “Título Local da Votação’.

Em seguida, fazer a consulta. É necessário informar nome completo, data de nascimento e nome da mãe. Ao fazer a pesquisa, o eleitor obterá o número do seu título, zona eleitoral e local de votação com endereço completo.

O que é domicílio eleitoral

Para entender a dinâmica do local de votação é necessário ter em mente alguns conceitos básicos. Entre eles está o chamado ‘domicílio eleitoral’. Funciona da seguinte forma. Ao comparecer no cartório eleitoral de sua cidade para solicitar o primeiro título, o eleitor registra seu Domicílio Eleitoral – cidade onde deverá votar.

É preciso entender que domicílio eleitoral é diferente do domicílio civil. Domicílio civil é o local em que a pessoa se estabelece de forma definitiva. Ou seja, onde a pessoa mora atualmente.

A pessoa não precisa votar na cidade em que escolheu para morar. O domicílio eleitoral deve ser escolhido levando em conta os fatores como vínculos sentimentais, econômicos, históricos, herança social, política e cultural. Isso quer dizer que a pessoa pode morar em uma cidade. Mas escolher outra para votar.

Dessa forma, é preciso entender que quando o eleitor muda de cidade, ele pode optar entre manter seu domicílio eleitoral ou realizar a transferência de título. Se o eleitor decidir seguir votando na cidade em que nasceu mesmo após a mudança de domicílio, ele precisará retornar para o seu município de origem em cada eleição para votar.

Agora se o eleitor resolver transferir o Título Eleitoral ele vai precisar seguir um determinado procedimento que vamos esclarecer a seguir.

Passo a passo para transferir o Título Eleitoral

  1. Comparecer ao Cartório Eleitoral da sua cidade atual.
  2. Residir, no mínimo, há três meses no município.
  3. Ter transcorrido, no mínimo, um ano da data do alistamento eleitoral (primeiro título) ou da última transferência de título.

São exceções às regras 2 e 3: servidores públicos (civil, militar e autárquico), ou um membro de sua família, que por motivo de remoção ou transferência tenha mudado de cidade.

Documentos para transferir o Título Eleitoral

No momento de fazer a transferência o eleitor deve levar: o Título Eleitoral um documento de Identificação com foto e um comprovante de residência recente.

Atenção os Cartórios Eleitorais podem exigir ainda documentos de identificação e tipos de comprovantes de residência diferentes. Por isso, o mais indicado é que o eleitor entre em contato com o Cartório Eleitoral da cidade para saber o que realmente deve levar para fazer a transferência do Título de Eleitor e evitar imprevistos.

Mas uma coisa não muda, independente do Cartório Eleitoral a transferência de título é gratuita! Não precisa pagar nenhum tipo de taxa para transferir o seu título

Para agilizar o atendimento existe uma comodidade. O eleitor pode agendar o atendimento através do Título – Net (http://www.tse.jus.br/eleitor/servicos/titulo-de-eleitor/pre-atendimento-eleitoral-titulo-net). Após fazer a solicitação para comparecer ao Cartório Eleitoral com a documentação exigida, para concluir a transferência de Título de Eleitor. O processo tende a ser rápido e prático.